30 de novembro de 2013

Entre café e lexotan | Infolide 2013


Sérgio Pecanha, atormentado por tendências: "Semana passada, recebi um e-mail da Renata Steffen que mudou a minha vida. Ela me pediu para falar sobre tendências. Desde então estou entre café e lexotan", brincou.

Quais são suas apostas para o futuro: Snow FallA Game Between Shark and MinnowOut of Syria, Into a European Maze e The Russia Left Behind são alguns exemplos. "A gente está vendo o nascimento de uma nova linguagem". "Hoje em dia, qualquer designer, ou quem faça comunicação visual, tem que tentar aprender um pouco de CSS e java script, na medida do possível". "Agora sim eu posso voltar a falar por onde começaria... sobre mim!".

E foi assim que começou a palestra de Sergio Peçanha, editor de infográficos da seção internacional do NYTimes.

peçanha infolide 2013


Após uma chuva de apostas em tendências, Peçanha contou sua história, como passou por algumas redações no Brasil e foi para os EUA. Primeiro, para o The Dallas Morning News, e depois para o Times.

O departamento de infografia do NYTimes tem cerca de 36 pessoas. "É muito diferente do que vocês conhecem, primeiro porque tem muita gente", disse. Para Peçanha, quem trabalha na redação é jornalista: "você tem que ser o dono da mensagem, não só o dono da figura ou do desenho (...) se você percebe que o que está fazendo é mais do que embelezar, mas sim contar uma história, é possível se posicionar melhor".

Sérgio mostrou uma série de cases. Veja alguns:

- Um mapa de dia a dia do conflito da Líbia
Como os rebeldes da líbia dominavam as montanhas, um gráfico feito por Sergio a partir de um contato com um leitor da Líbia
- Um mapa de detalhes da região em conflito, um dos poucos em que foi usada uma base de dados
- Um gráfico com a destruição na principal rua de Misurata, feito com uma fonte direto da Líbia
- Uma base de dados animada sobre os medalhistas de atletismo de todos os tempos